jump to navigation

O idoso e a solidão outubro 8, 2009

Posted by Elza Prado in Diversos, Novidades!, Terapia Floral, Uncategorized.
Tags: , , , , , ,
2 comments

DSC09147Quando o assunto é asilo, logo vem a imagem de idosos fleumáticos,  sem vida, carentes cuja família, muitas vezes, são os funcionários do próprio asilo.  Não creio que todos sejam assim, não posso generalizar, mas os que visitei eram.  Vocês acreditam que há idosos cuja família sumiu, os abandonou, nem mesmo apareceram vez ou outra para obter notícias!!!

Os da foto, jovens da melhor idade, fazem parte da minha família, são amados e amam, são cuidados e cuidam.

Entretanto, sei também que há muitos programas no Terceiro Setor que se preocupam com a vida saudável do idoso.

O problema maior é que a doença mais grave se chama SOLIDÃO é… e isto não é só com os idosos do asilo, é mais comum do que se imagina.  O agravamento das doenças, sejam elas cardíacas, diabetis, respiratórios vem da solidão em que vivem mesmo rodeados de gente. Todo mundo na busca insana para sobreviver não encontra TEMPO (que hoje pelo jeito vale mais do dinheiro) para sentar e conversar, ouvir o que eles tem para contar. Para filhos e netos, tudo é mais importante, o trabalho, o curso, a escola, o futebol, etc…

Voltando ao asilo, não seria bom, se ao visitar o asilo você se deparasse com pessoas mais contentes, cheias de vida, animadinhas, com a saúde mais equilibrada? E se eu dissesse que há boa perspectiva disso acontecer se dermos ao reino vegetal, nossa flora a oportunidade de contribuir com gotinhas de essências de flores e que elas atuam na causa dos problemas.  Nesse caso específico, pode ser resignação, apatia, tristeza, saudade, sensação de abandono ou vazio, amargura, ressentimento, raiva, culpa, depressão, etc…. Para quem quer estudar ou se aprofundar verá que a essência composta dos Florais de Minas, também conhecida como essência geriátrica, SEMPITERNU pode fazer toda a diferença.

Que tal pensar em um projeto com essa essência que pode fazer toda a diferença na qualidade de vida dos velhinhos.  Quer saber como aplicar, quer mais detalhes, ou ainda se tiver outras questões, escreva no espaço de comentários que terei prazer em responder.

Anúncios